Pesquisar
Close this search box.

Artigo – O Movimento Social e o Receituário Liberal Neolulista

Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp

Por: Luiz Cláudio Ferreira Barbosa

 

O ex-presidente Lula (PT) começa a montar o seu estilo liberal social, no lugar da socialdemocracia conservadora outrora usada para as classes médias tradicionais, nos serviços públicos e nos setores industriais, como também nas áreas de serviços do início do século XXI.

Lula dialoga diretamente com os setores pobres da sociedade civil, sem preocupação, com os setores organizados das classes médias tradicionais (Conservadoras Cristãs).

A Consultoria LCFB acredita que o lulopetismo vai governar para uma parte da sociedade brasileira, porém, com o discurso de governabilidade universal.

A essência econômica neoliberal social da Frente Ampla está mais próxima das futuras diretrizes do terceiro mandato presidencial do Lula do que o receituário econômico social – ecologista da federação partidária lulopetista (PT, PC do B e PV) e dos seus aliados: Avante, Solidariedade, PROS e outros.

O teto de gastos é um enorme empecilho para o futuro presidente Lula fazer um novo pacto social, com as classes médias, e por isso o novo pacto econômico social, com os brasileiros mais próximos e bem abaixo da linha da pobreza.

Teremos a criação de vários mecanismos de distribuição de renda via o Governo Federal.

A Consultoria LCFB acredita que o lulopetismo não tem como reconquistar uma parte da classe média tradicional das regiões Sul, Sudeste e Centro – Oeste, nos próximos quatro anos.

O lulopetismo vai fazer uma opção político-administrativa pelos que exercem trabalhos precarizados, profissionais informais e os excluídos do mercado de trabalho.

A Frente Ampla também será um aliado com tempo de validade, como aliado do ex-presidente Lula e do Partido dos Trabalhadores.

 

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa é diretor-executivo da Consultoria LCFB