Pesquisar
Close this search box.

Assembleia Legislativa homenageia o Instituto Dragão do Mar em Sessão Solene

Solenidade terá homenagem a pessoas que colaboraram diretamente com a história do Dragão: Antônio Pádua, Bete Jaguaribe, Elis Xavier, Fabiano Piúba e Paulo Linhares

Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp

Foto: Arquivo/Secult Ceará 

O Instituto Dragão do Mar (IDM) será homenageado em Sessão Solene na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará (Alece), atendendo ao requerimento da deputada estadual Larissa Gaspar (PT-CE), como parte das comemorações dos 25 anos da primeira Organização Social de Cultura do país. A solenidade, aberta ao público, ocorrerá nesta segunda-feira (17), às 18h, no plenário 13 de Maio.

“Queremos parabenizar o IDM pelos 25 anos de inovação no campo da gestão, com 16 equipamentos públicos em seu portfólio, entre eles Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Centro Cultural Bom Jardim e Theatro José de Alencar. Esta instituição sem fins lucrativos que leva de forma pioneira as políticas de Cultura, Meio Ambiente e Esportes para mais perto da população de todo o Ceará, atuando em Fortaleza, Cariri e Sertão Central, merece nosso reconhecimento e carinho. ”, assinalou Larissa.

Segundo a deputada, foi protocolado ainda um requerimento para que a Comissão de Cultura e Esportes da Assembleia faça uma visita aos equipamentos culturais. Entre os objetivos, há a necessidade dos deputados conhecerem para valorizar e contribuir para que estes espaços públicos funcionem cada vez melhor.

O Instituto Dragão do Mar (IDM), pioneiro como primeira Organização Social de Cultura brasileira, comemora seus 25 anos em 2023 e celebra também a força do campo cultural no Ceará. Este aniversário tem ainda o sabor especial da inovação que a Organização Social (OS) alcançou em sua gestão em 2021 e 2022, em um processo de modernização que se tornou necessário ao longo das décadas. Implantou um sistema digital unificado para gerenciamento dos fluxos de pagamento e recebimentos e vem trazendo outras mudanças significativas para o setor cultural, como o desenvolvimento do App Cultura.CE, que propõe unificar e tornar mais acessível a programação cultural do Estado, melhorias na plataforma do Mapa Cultural do Ceará, implantação de mecanismos de transparência e controle na gestão do Instituto e dos equipamentos por ele geridos.

“Nesses 25 anos, o IDM vem colaborando de maneira fundamental na construção de políticas públicas nas áreas em que atua, sendo a Cultura o conceito-base que guia transversalmente as propostas implantadas pelo Instituto. Um ponto que precisa ser ainda lembrado é que a OS, na Cultura, surge no Brasil com o Instituto Dragão do Mar. Isso é pioneirismo, ousadia e inovação da Organização e do governo do Estado que acreditaram e investiram nesse modelo de gestão, pautado pela parceria, diálogo e participação social”, destacou Rachel Gadelha, diretora-presidenta do IDM. Ela salienta ainda que o IDM deve ter sua história reconhecida e abraçada por todos os cearenses. “A Sessão Solene é importante para demarcar a data e a memória dessa instituição que faz parte da vida do Ceará”.

 

Rachel Gadelha, presidente do IDM

Essa história, de participação e colaboração na execução das políticas públicas, começou em 10 de março de 1998, quando houve a Assembleia Geral de Constituição do então Instituto de Arte e Cultura do Ceará (IACC), denominação que vigorou até 2013. Neste ano, o IACC foi renomeado para Instituto Dragão do Mar (IDM). Antes disso, ainda em 3 de julho de 1998, foi qualificado pelo governo do Estado como Organização Social. Ou seja, uma instituição privada, com finalidade pública e sem fins lucrativos, que pode celebrar Contratos de Gestão para, em parceria com secretarias e outros órgãos públicos, gerir equipamentos e projetos.

No momento (abril/2023), são 16 equipamentos e vários projetos geridos em parceria com o Governo do Estado, por meio de Contratos de Gestão com as secretarias da Cultura (Secult Ceará), do Meio Ambiente e Mudança do Clima (Sema) e do Esporte (Sesporte), além da Superintendência do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas-CE). O valor movimentado por esses contratos, em 2022, foi de mais de R$ 100 milhões. Para realizar esse trabalho, o Instituto Dragão do Mar (IDM) conta com cerca de 500 pessoas em seu corpo colaborativo.

Homenagem

Durante a Sessão Solene, serão homenageados sujeitos sociais que representam todos que contribuíram para essa data e comemoração do Instituto Dragão do Mar (em ordem alfabética):

Antônio Pádua Araújo – primeiro diretor-presidente da instituição.
Foi o primeiro diretor-presidente do Instituto Arte e Cultura do Ceará que, em 2013, passou a se chamar Instituto Dragão do Mar (IDM).

Bete Jaguaribe – sócia-fundadora e diretora de Formação do Instituto Dragão do Mar.
A relevante contribuição à Cultura e ao IDM de Bete Jaguaribe vem da fundação à atualidade. Sócia-fundadora da Organização Social (OS), no momento, ela é diretora de Formação da instituição, membro da diretoria há mais tempo no exercício da função, e também da Escola Porto Iracema das Artes, um dos equipamentos geridos pelo Instituto. Coordenou ainda projetos como Instituto Dragão do Mar de Artes e Indústria Audiovisual e Bureau de Cinema e Vídeo do Ceará e ocupou a chefia de gabinete da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, na gestão de Gilberto Gil.

Elis Xavier – colaboradora mais antiga da Organização Social que ainda está em exercício.
Elis, mais antiga colaboradora ainda em exercício, representa todos os colaboradores que construíram a história do IDM: começou ainda em 1998 e, hoje, atua como analista da célula de monitoramento e planejamento.

Fabiano Piúba – titular da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult Ceará) no período de expansão significativa do IDM, entre os anos 2016 e 2022, quando o Instituto Dragão do Mar assinou Contratos de Gestão para sete espaços da Rede Pública de Espaços e Equipamentos Culturais do Estado do Ceará (Rece) e registrou uma expansão significativa. Atualmente, é secretário de Formação, Livro e Leitura do Ministério da Cultura (MinC).

Paulo Linhares – idealizou o modelo de gestão das políticas culturais por Organizações Sociais.
Professor-adjunto da Universidade Federal do Ceará (UFC), participou como titular da então Secretaria da Cultura e Desporto do Ceará (Secult Ceará) da configuração e qualificação do Instituto Dragão do Mar (então Instituto de Arte e Cultura do Ceará – IACC) como a Organização Social que passou a gerir o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura (CDMAC).

SERVIÇO
Sessão Solene em homenagem aos 25 anos do Instituto Dragão do Mar
Assembleia Legislativa do Ceará (Alece)
Data: 17.04.2023 (segunda-feira)
Horário: 18h
Local: Plenário 13 de Maio – Alece
Rua Barbosa de Freitas, 2674