Pesquisar
Close this search box.

Ricardo Cavalcante, Tribunal de Justiça e Governo do Estado assinam termo de Cooperação para oferta de 300 vagas em cursos profissionalizantes para mulheres vítimas de violência doméstica da Casa da Mulher Brasileira

Os cursos serão realizados gratuitamente pelo Sesi e Senai Ceará.

Compartilhar

Facebook
Twitter
WhatsApp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) Ricardo Cavalcante, participou, nesta quinta-feira (16), de solenidade, no Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza, de assinatura do termo de cooperação para a oferta de 300 vagas em cursos profissionalizantes e educação continuada para mulheres vítimas de violência doméstica, atendidas pela Casa da Mulher Brasileira. Os cursos serão realizados gratuitamente pelo Sesi e Senai Ceará.

O documento também foi assinado pelo Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, Desembargador Abelardo Benevides; pela Vice-Governadora do Ceará e Secretária das Mulheres do Ceará, Jade Romero; pelo Superintendente do SESI Ceará e Diretor Regional do SENAI Ceará, Paulo André Holanda e pelo Secretário-Executivo da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), Paulo Guedes, que representou a Secretária Onélia Santana.

Também participaram da cerimônia a Desembargadora Marlúcia Araújo Bezerra, Coordenadora da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Tribunal de Justiça; a Desembargadora Maria Iracema Martins do Vale; a Diretora do Fórum Clovis Bevilaqua, Juíza Solange Menezes Holanda; a Titular do Primeiro Juizado de Violência Doméstica, Juíza Rosa Mendonça; a Promotora de Justiça das Promotorias da Violência Doméstica, Ana Cláudia Oliveira Torres; a Vice-Presidente da OAB Ceará e Presidente da Comissão da Mulher da instituição, Christiane Leitão; a Titular da Delegacia da Mulher, Eliana Maia e a Assistente Social Clarisse de Souza Ribeiro, que representou o Centro Estadual de Referência e Apoio à Mulher (CERAM).

Ao abordar o tema da violência doméstica, o Presidente da FIEC, Ricardo Cavalcante, disse que as unidades do SESI Ceará e SENAI Ceará estão de braços abertos para dar todo apoio necessário às mulheres vítimas de violência doméstica. Enfatizou ainda o papel social que o Sistema FIEC pode desempenhar no serviço de qualificação profissional.

“Nós temos dezenas de cursos para oferecer e, assim, podemos transformar a vida de cada uma delas, tornando-as empreendedoras ou a conseguir um emprego justo. Essa é a nossa missão. Na hora que a gente consegue proporcionar esse empoderamento, as mulheres vão, automaticamente, começando a se libertar desses problemas que estão acontecendo com elas”, declarou, colocando a FIEC à disposição para atender outras mulheres do projeto.

  Em continuidade, Ricardo Cavalcante disse que a Federação pode contribuir na empregabilidade dessas mulheres.

“Hoje nós temos um grande banco de dados, onde as empresas nos procuram e isso pode trazer oportunidade de emprego no mercado de trabalho”.

Segundo o Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, Desembargador Abelardo Benevides, esse trabalho vai continuar sendo feito de forma conjunta. Ao lembrar seu discurso de posse, no dia 31 de janeiro, o magistrado disse que essa é uma pauta atual da sociedade.

“Nós estamos dispostos a ajudar os outros órgãos a enfrentar esse problema. Portanto, nós vamos nos inserir nessas políticas. O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará não tem se omitido, visto que essas práticas começaram, em 2015, na gestão da Desembargadora Iracema Martins do Vale e, desde então, estamos nos aprimorando e, como não há obra acabada e nada perfeito, nós queremos melhorar ainda mais”, disse.

Ainda sobre o tema, a Vice-Governadora do Ceará e Secretária das Mulheres do Ceará, Jade Romero, lembrou que uma das frentes de combate à violência contra a mulher foi a aprovação, no ano passado, pelo então Deputado Estadual e, hoje, Governador do Estado, Elmano de Freitas e pela então Deputada Estadual e hoje Senadora Augusta Brito, de uma lei, na Assembleia Legislativa.  A norma determina um percentual de contratação dentro do Governo do Estado para mulheres que sofreram algum tipo de violência doméstica. 

“Nós vamos levar essa informação para representantes dos órgãos do Estado nesse trabalho de combate à violência contra a mulher. A gente sabe que para quebrar o ciclo de violência é muito importante que nós tenhamos o setor de autonomia econômica fortalecido. Essa também será uma das nossas prioridades e a gente agradece a parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, FIEC e dos demais parceiros que estão fazendo esse papel de nos ajudar na ascensão da mulher no mercado de trabalho para essa autonomia econômica”, disse a Vice-Governadora.

Segundo o termo de cooperação, as trezentas mulheres serão beneficiadas pelos serviços de educação oferecidos pelo SESI Ceará e qualificação profissional do SENAI Ceará.

“Nós estamos acolhendo essas mulheres vítimas de violência e, portanto, vulneráveis para que a gente possa encaminhá-las ao mercado de trabalho ou ensiná-las a empreender. É uma ação louvável da Casa da Mulher Brasileira, por meio do Tribunal de Justiça e a Federação das Indústrias do Estado do Ceará, por meio do SESI Ceará e SENAI Ceará, ao atuar fortemente para minimizar esses problemas sociais”, disse o Superintendente do SESI Ceará e Diretor Regional do SENAI Ceará, Paulo André Holanda.